domingo, 23 de julho de 2017

Se meu desprezo pelo futebol te incomoda, é porque você me obriga a gostar

Dependendo do lugar, certos costumes tidos como positivos em um, podem ser negativos em outro. Existem certos costumes que são inacreditavelmente ofensivos em certos lugares. No Rio de Janeiro é ofensivo assumir o desprezo pelo futebol.

O Brasil considera o futebol como seu dever cívico. Mas no Rio de Janeiro e em estados onde o fanatismo é grande, como São Paulo e Rio Grande do Sul, o gosto pela citada modalidade esportiva é considerada uma regra de etiqueta. Assumir o não-gosto é como uma recusa ao contato social. 

Por isso que muita gente que nem curte futebol se apressa em escolher o seu time, mesmo sem saber o nome do principal craque e sua situação no campeonato local ou nacional. Os mais sociais escolhe entre os times mais populares. Os que não querem se arriscar em conversas infindáveis sobre futebol escolhem times menos famosos como o Bangu e o América, "favoritos" de quem detesta futebol.

Para quem não entende a reação do carioca diante de quem não curte futebol, é similar ao que acontece com evangélicos quando estão diante de um ateu. Por acreditar no absurdo de que o futebol "está no sangue" ou seja, "faz parte" da essência humana, tratam aquele que não curte como se fosse um desequilibrado. Como se o cérebro de quem despreza o futebol não estivesse funcionando direito.

Claro que para dar a impressão de que é democrático, pois ninguém gosta de se assumir autoritário, mesmo que de fato o seja, ninguém assume a intenção de obrigar os outros a gostar de futebol. Mas no cotidiano percebe-se que o conhecimento de alguém que não curte futebol gera um baita incômodo e um longo debate que obriga o não-torcedor a explicar a sua opção.

Não há lei que me obrigue a gostar de futebol. E existem muitos esportes que poderiam atrair público mas são ignorados pelo fanatismo compulsório pelo futebol. Não é porque milhões decidiram de forma SUBJETIVA de que o futebol é dever cívico que tenho que gostar. Tenho mais coisas a fazer do que perder 90 minutos preciosos vendo algo que não me dá prazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.