quarta-feira, 13 de março de 2019

Futebol inspira polarização política no Brasil

Nos últimos anos, vivemos uma polarização política há muito tempo não vista no Brasil. O povo brasileiro, que não é politizado, embora pense que é, resolveu incorporar nas convicções sobre política o fanatismo já visto quando torce por futebol.

Na verdade, ninguém está muito interessado no desenvolvimento do país e no bem estar da população. O papo de patriotismo e amor ao povo é só um discursos para ganhar simpatia e admiração. Os brasileiros querem mesmo é que cada um cuide da sua vida e que a política beneficie apenas "quem merece ser beneficiado".

Isso significa que a polarização política surgida nos últimos anos nada tem a ver com o desejo de ver o Brasil soberano e gerando bem estar para a população. Tudo é uma questão ideológica. tem mais a ver em defesa a convicções (crenças) do que com amor ao país.

Vejo semelhanças claras com o futebol. A polarização se caracteriza pela escolha de um lado e pela torcida para que este lado se dê bem e o outro lado se ferre. No lado progressista há quem queira ver o país soberano e com bem estar. Mas do lado conservador, são raros os que pesam desta maneira.

O lado conservador parece mais agressivo e vive apenas de xingar o outro lado. Não vi jogadas bem feitas do lado conservador, que joga mal e só ganha na trapaça. Faz o tipo que paga o juiz para acusar faltas ao adversário progressista, que raramente erra, mas é punido o tempo todo. 

Dá para perceber que não somente o futebol inspirou a polarização política como serve como metáfora para explicar a política brasileira para quem não a entende. Excelente forma para tentar mudar a cabeça dos conservadores, que parecem viver fora do mundo real.

Bom lembrar que embora popular entre os pobres e com vários jogadores vindos das classes operárias, o futebol é de direita, capitalista e a maioria dos jogadores vira conservador após enriquecerem com relativa facilidade. Mesmo assim, a esquerda quer o copyright pelo futebol, apelando para o wishful thinking para justificar o falso progressivismo do futebol.

De qualquer forma, a briga entre progressistas e conservadores tem muito do fanatismo pelo futebol. A não-politização do povo brasileiro não ensinou ao povo como ele deve agir diante da política. Mas como brasileiros sabem muito sobre futebol, resolveram usar a experiência de torcedor para usar na política, escolhendo seu lado e torcendo para que o adversário se dê mal.

Isso é ruim, pois a não-politização dos brasileiros tem feito com que o país e própria população perdessem um importante jogo em prol do estado de bem estar social. Desta forma, continuaremos sendo os melhores do mundo no futebol e os piores em política, economia e bem estar social. Na luta pelos nossos direitos, continuamos a perder feio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.