domingo, 27 de junho de 2010

A "seleção" não representa o povo brasileiro

Nesta época de copa do mundo de futebol fico muito puto. As pessoas passam a tratar um evento puramente lúdico como se fosse uma "obrigação cívico-social", chegando a parar o país e ganhar a adesão cretina de pessoas que não costumam gostar de futebol, mas como perfeitos otários, caem nessa cilada de que aderir ao evento é "patriotismo".

O nosso país é grande, lindo, cheio de recursos. Tem uma grande variedade de climas, de culturas, de etnias, de modos de pensar. Como é que com tanta variedade em muitos setores da vida, no esporte, se é obrigado a engolir o monopólio do futebol. E a diversidade no esporte, onde está? Negar isso é uma contradição.

A "seleção" não é o país e muito menos representa a população. É apenas um suposto resumo do futebol brasileiro através da seleção de 11 jogadores e 12 reservas que vão enfrentar outras equipes em um campeonato. Nada mais que isso.

Me recuso a cultuar a "seleção" em copas como sinal de suposto patriotismo. Quem está lá não é o Brasil. Quem está numa copa é apenas uma equipe de futebol e nada vou ganhar com a vitória dela. Nada mesmo. Cultuar a "seleção" nada tem de patriota.

Patriotismo para mim nem sequer é cultuar símbolos. O culto a bandeiras, hinos, escudos e o escambau surgiu por idéia dos conservadores que acharam melhor ficar parado cultuando tais símbolos para que nada fosse feito para melhorar o país, perpetuando os privilégios da elite.

Para esses mesmos conservadores, transformar o futebol em "mais um símbolo" foi uma excelente ideia, pois o sedutor caráter lúdico do evento, somado ao caráter "sério e compromissor" do "patriotismo" hipnotiza toda a população que é capaz de largar tudo o que está fazendo, mesmo coisas extremamente urgentes, para se dedicar a uma mera peladinha que acontece de 4 em 4 anos. Não se vê essa dedicação em lugar nenhum, esporte nenhum e nem sequer nas outras modalidades do futebol (tem certeza que é por causa do futebol que todos gostam de copa?).

Patriotismo, para mim é lutar pela melhoria das condições de vida das pessoas que vivem em meu país, incluindo eu mesmo. É respeitar o próximo, auxiliar no que for necessário e reivindicar meus direitos e cumprir meus deveres. Não está escrito em lei nenhuma que "torcer pela 'seleção' numa copa" é um dever. No máximo é pura diversão.

Falei em outro texto que tenho vergonha de ser brasileiro. Vou continuar tendo até que a população amadureça e coloque o futebol no seu devido lugar: como um divertimento puro que uns gostam, outros não e que tem como única finalidade distrair as pessoas. Não sou contra o futebol e até gosto muito que ele exista. Só não deve ser levado a sério, como acontece em nosso país. Ninguém é obrigado a gostar ou não de futebol.

Pois tratar o futebol em copas como salvação da humanidade brasileira é o fim da picada. Associar futebol com patriotismo é a mesma coisa que acreditar em duendes. Coisa de gente sem maturidade, infantil mesmo.

Quando os brasileiros amadurecerem, o Brasil poderá resolver seus problemas e se desenvolver. Como ainda não amadureceram...