domingo, 22 de junho de 2014

A escancarada manipulação de resultados em copas

Embora a alucinada população de torcedores não queira nem imaginar esta hipótese, temendo destruir as suas ilusões, a corrupção do futebol-negócio está cada vez mais evidente. Aqueles que ainda acreditam no futebol-arte ainda vivem num mundo da lua e precisam ainda sofrer muito (na vida, não na torcida, tolos!) para amadurecer e entender tudo isso que está acontecendo.

Muitos jornalistas esportivos sérios, os que não são ligados a cartolas (há muitos que são ligados a cartolas, como vários da Rede Globo e da Band, que certamente não vão querer admitir a corrupção no futebol) estão alertando que nesta copa, haverá um festival de manipulações de resultado, com jogadores e juízes pagos para favorecerem determinadas equipes em campo. Seleções fortes estão sendo estranhamente eliminadas nesta copa. E a seleção brasileira poderá ser beneficiada por estas falcatruas, já que especuladores apostaram na vitória dos amarelos na própria copa.

"Seleção" poderá ganhar roubando nesta copa. E não será a primeira vez

Não é a primeira vez e provavelmente não será a última que o futebol mostrará seu show de desonestidade. Copas movimentam muito dinheiro e no caso do Brasil, isso é ampliado de maneira gigantesca, por dois motivos:

- Cartolas brasileiros são muito influentes na FIFA;
- Sendo o objeto de imensurável fanatismo do brasileiro, o futebol é a melhor mordaça para impedir que a população se conscientize e tente acabar com os erros de nossa sociedade, favorecendo quem lucra com esses erros.

A vitória da seleção brasileira em copas é de interesse de todos os poderosos. Sabe-se que enquanto o Brasil for o melhor em uma atividade supérflua, uma mera diversão, não incomodará outras nações. A seleção é campeã 5 vezes e em todas estas 5 vezes a sociedade brasileira se estagnou em muitos aspectos e piorou em outros. O futebol é uma ilusão, uma fuga da realidade que infelizmente é tratada como forma de redenção para a maioria dos que se assumem torcedores.

Atribuir patriotismo ao futebol reforça o favorecimento da corrupção

A confusão entre futebol e patriotismo favorece muito a corrupção no futebol, mantendo a população hipnotizada diante daquilo que ela pensa ser um dever. Transformar o futebol em dever cívico é o mesmo que transformar os lucros do futebol em uma certeza inadiável, já que todos irão dar dinheiro pelo futebol, de qualquer maneira.

Garantir a vitória da seleção brasileira nesta copa, não só satisfaz a apostadores e especuladores, como também à população, pouco interessada na qualidade de vida e que acha que é muito mais confortável fugir dos problemas através de uma ilusão, do que resolvê-los. Corruptos adoram pessoas submissas, pois sabem manipular para que elas façam de tudo para satisfazer interesses mesquinhos.

Por isso mesmo que há toda uma violenta publicidade, altamente persuasiva, estimulando as pessoas a virarem torcedores, a coisa é tanta que até mesmo quem não curte futebol em outros períodos, prefere aderir à enorme correnteza durante a copa. E a caixa registradora dos cartolas e patrocinadores (estes muitos estranhamente de origem estrangeira) vai fazendo seu barulhinho.

Caso vença esta copa, não será a primeira vez que os brasileiros vencem de maneira desonesta. Em 2002 houve indícios fortes, mas pouco comentados, de que a FIFA teria pago para que jogadores das seleções adversárias, jogassem mal para favorecer os brasileiros. Realmente os jogos foram muito estranhos, favorecendo muito mais o ataque dos brasileiros, sempre no campo dos adversários. A seleção francesa adotou a mesma "tática" na copa anterior e isso pode ter servido de inspiração para que os jogadores da pátria  do "jeitinho" também pudessem ganhar facilmente.

Futebol: uma novela com enredo pré-determinado e final feliz

O futebol, queiram ou não queiram, é como uma novela, com roteiros pré determinados. Em muitos casos, o final já é decidido antes mesmo de começar. Quem for mais atento vai perceber que os jogos da seleção brasileira se parecem muito entre si, com doses de suspense e forte emotividade nada racional. Tudo padronizado, como roteiro escrito com antecipação possa ser cumprido.

E em jogos mais importantes, há sempre o empenho de criar um final feliz para os "mocinhos" amarelados. E é aí que os cartolas e patrocinadores entram em campo para que a festa do povo mais festeiro do mundo esteja garantida e para que o show da ilusão possa sempre substituir a realidade que só é feia, cruel e difícil porque a população quer assim.

Até porque, do contrário que diz o hino tão ardorosamente cantado em copas e tão ignorado em outras situações, o brasileiro vive fugindo da luta. E nada como o futebol, sua ilusão maior, para servir de melhor fuga para que os brasileiros possam se esconder dos problemas e injustiças que só crescem a cada ano. Os corruptos gostam de brasileiros assim.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

O grave preconceito contra quem não curte futebol

Quem não aprecia o esporte mais popular do país sofre para se sociabilizar. Vistos como anormais, muitos são tratados com desprezo, mas em alguns casos não-torcedores podem ser confundidos com pessoas de mau caráter ou até com arruaceiros.

A mídia sempre ignorou quem não curte futebol. E não está sendo diferente, mesmo numa época em que nas redes sociais os avessos aos futebol começam das as caras, com críticas inteligentes ao crônico fanatismo do futebol. A mídia sempre fingiu que o futebol fosse uma unanimidade, se esquecendo da existência dos não-torcedores. Como se fosse impossível não gostar de futebol.

E do lado da mídia, as autoridades também entram na onda de ignorar os não-torcedores. Governos se empanham ao máximo para garantir a diversão de quem gosta de futebol. Mas as mesmas autoridades nada fazem para entreter quem não curte, que se sente abandonado por essas autoridades, pela mídia e pela sociedade, sobretudo amigos, e tem que se virar para se divertir e arrumar algum tipo de sossego no meio de tanta baderna. Não-torcedor é que é o verdadeiro sofredor, pois sofre por algo real e não por uma conquista fútil de realização fictícia.

E mais: graças ao episódio do jogador Daniel Alves (sabiamente escalado para a "seleção" por motivos publicitários, capitalizando em cima do caso da banana), vão pipocas muitas campanhas contra o preconceito disso e preconceito daquilo. Mas quanto ao preconceito contra quem não curte futebol, quem fará esta campanha? Quando irão lutar em prol dos direitos de quem não aprecia o futebol?

Futebol, por ser uma distração, um lazer, não pode ser imposto a quem quer que seja. Se algo não dá prazer, porque tem que se gostar? Claro que não vamos obrigar ninguém a deixar de curtir futebol (embora muita gente que não gosta finja gostar em época de copa para se sociabilizar), nem queremos isso (embora quem curte se faz de vítima bem mais do que quem não curte, mesmo com todo a atenção e o de sociedade, mídia e autoridades). Mas porque vocês nunca respeitam o nosso direito de passar bem longe do esporte mais popular do país?

Estamos esperando que alguém se lembre que nós existimos. Estamos cansados de sermos excluídos como brasileiros. Somos tão brasileiros quanto quem curte futebol. Não é porque não curtimos o futebol que temos que ser deserdados da sociedade.

Que venha alguma campanha que possa acabar com o preconceito contra quem não curte futebol. Tão cruel e danosos quanto qualquer forma de preconceito.