domingo, 29 de maio de 2011

Documentário denuncia Ricardo Teixeira por corrupção

NOSSO COMENTÁRIO: Tem muita gente ingênua que deve estar pensando que quem administra o futebol brasileiro são três pinguços de um bar de uma favela, tanta é a ingenuidade de achar que o futebol é a identidade de nosso povo. Balela! Futebol é espetáculo e é política também. E os políticos do futebol são os "cartolas", que são tão - ou mais - corruptos dos engravatados que sobem e descem as rampas de Brasília.

Temos que parar de ingenuidade e admitir que patriotismo mesmo é deixar de curtir futebol. Assim, não alimentamos os interesses dos "cartolas".

Ah! O Ricardo Teixeira foi o verdadeiro responsável pela entrada e pela - fraudulenta - conquista da "seleção" na copa de 2002. O Penta foi roubado, adquirido com o famoso "jeitinho brasileiro".

Documentário denuncia Ricardo Teixeira por corrupção

Gazeta Press e R7 - publicado em 26/05/2011 às 14h23

O cartola brasileiro está na mira da imprensa internacional por acusações

O homem mais poderoso do futebol brasileiro continua sob a mira da imprensa internacional. Ricardo Teixeira, presidente da CBF, agora é tema de um documentário da BBC de Londres, que afirma que o cartola teria recebido propina e feito um acordo para devolver o dinheiro recebido. Um corajoso jornalista da rede agora investiga todo o "jogo sujo" do futebol mundial.

Esta semana, a Fifa impediu a divulgação de um documento que revela a identidade de dois dirigentes da entidade que foram forçados a devolver dinheiro de propinas em um acordo para encerrar uma investigação criminal na Suíça, em 2010.

A reportagem do programa de televisão Panorama, da emissora inglesa, apurou que um dos dois dirigentes é o presidente da CBF, Ricardo Teixeira - que integra também o Comitê Executivo da Fifa.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que tentará ser reeleito para o cargo no próximo dia 1º de junho, declarou recentemente a adoção de uma política de "tolerância zero" para casos de corrupção.

Tanto Ricardo Teixeira como João Havelange se recusaram a responder às perguntas feitas pela BBC. A Fifa também se recusou a comentar alegações específicas e se limitou a reafirmar que, em relação ao acordo com a promotoria suíça, o caso está encerrado.

Dias antes, Teixeira anunciou que processaria o ex-presidente da Federação Inglesa de Futebol David Triesman - o primeiro a acusá-lo publicamente de pedir propina para votar na Inglaterra como sede da Copa de 2018.

A reportagem completa sobre o caso você assiste no Domingo Espetacular, que vai ao ar neste domingo (29), às 20h30.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Dívida bancária dos clubes salta para R$ 463 mi e sobe 49%

NOSSO COMENTÁRIO: Essa é para quem acredita que não existe dinheiro no futebol, que os jogadores são "heróis" que "lutam" por "amor ao país" e que os times são administrados por um trio de adolescentes punheteiros que vivem trancados em um quarto, que por "patriotismo", decidiram fundar uma equipe de futebol.

Não acredito que tenha gente que ainda acredite nisso...

Tudo de nojento que existe na política, existe no futebol, multiplicado. Sabiam?

Dívida bancária dos clubes salta para R$ 463 mi e sobe 49%

RODRIGO MATTOS - FOLHA DE SÃO PAULO

Apesar do aumento de receita, os clubes da Série A tiveram de recorrer de forma mais intensa aos bancos em 2010 para fechar suas contas.

Presente na maioria dos clubes, BMG já é maior credor bancário.

No total, a dívida bancária de 17 times da elite nacional, cujos balanços foram analisados pela Folha, saltou para R$ 463,7 milhões.

Isso representa um aumento de 49% em relação aos R$ 311,9 milhões registrados ao final de 2009 pelas mesmas entidades, sem contar a inflação (5,91%, IPCA).

Esses números mostram o peso do BMG junto aos clubes. Só o banco mineiro representa mais de um quarto do total dos empréstimos bancários contraídos pelos times da primeira divisão.

Entre eles, é o Palmeiras o clube com maior débito com os bancos entre os clubes analisados, total de R$ 74,3 milhões em suas contas.

É seguido de perto pelo São Paulo, que soma R$ 70 milhões com dívidas dessa natureza em seu balanço.

"Não é para se preocupar. Subiu em torno de 27% os empréstimos bancários. Tivemos crescimento de receita. Isso não pesa", disse Oswaldo Vieira de Abreu, diretor de finanças do São Paulo.

De fato, os são-paulinos estão longe de serem os maiores devedores em valores absolutos, como mostra um levantamento da consultoria BDO RCS, que tem entre seus sócios o dirigente corintiano Raul Corrêa da Silva.

A auditoria fez um levantamento sobre os balanços de 25 times brasileiros. Em cima desses números, a reportagem verificou que os 17 clubes da Série A têm um débito líquido (dívida total menos o dinheiro a que tem direito a receber) de R$ 3,2 bilhões.

Ou seja, a dívida bancária representa 14,7% do total. Ressalte-se que esses empréstimos costumam ter juros maiores, que podem até ultrapassar os 2% ao mês.
Mas o maior peso no passivo dos clubes continuam a ser as dívidas fiscais.

São as pendências com o governo que levam o Atlético-MG a figurar como o maior devedor do país, com R$ 528 milhões líquidos. A diretoria questiona: diz que o número é R$ 265 milhões menor.

O clube mineiro é seguido pelos clubes cariocas --Botafogo, Fluminense, Vasco e Flamengo.

Em todos são considerados os débitos líquidos. Ao se levar em conta valores absolutos, sem descontar o dinheiro a receber, os números sobem bastante.