segunda-feira, 16 de maio de 2011

Dívida bancária dos clubes salta para R$ 463 mi e sobe 49%

NOSSO COMENTÁRIO: Essa é para quem acredita que não existe dinheiro no futebol, que os jogadores são "heróis" que "lutam" por "amor ao país" e que os times são administrados por um trio de adolescentes punheteiros que vivem trancados em um quarto, que por "patriotismo", decidiram fundar uma equipe de futebol.

Não acredito que tenha gente que ainda acredite nisso...

Tudo de nojento que existe na política, existe no futebol, multiplicado. Sabiam?

Dívida bancária dos clubes salta para R$ 463 mi e sobe 49%

RODRIGO MATTOS - FOLHA DE SÃO PAULO

Apesar do aumento de receita, os clubes da Série A tiveram de recorrer de forma mais intensa aos bancos em 2010 para fechar suas contas.

Presente na maioria dos clubes, BMG já é maior credor bancário.

No total, a dívida bancária de 17 times da elite nacional, cujos balanços foram analisados pela Folha, saltou para R$ 463,7 milhões.

Isso representa um aumento de 49% em relação aos R$ 311,9 milhões registrados ao final de 2009 pelas mesmas entidades, sem contar a inflação (5,91%, IPCA).

Esses números mostram o peso do BMG junto aos clubes. Só o banco mineiro representa mais de um quarto do total dos empréstimos bancários contraídos pelos times da primeira divisão.

Entre eles, é o Palmeiras o clube com maior débito com os bancos entre os clubes analisados, total de R$ 74,3 milhões em suas contas.

É seguido de perto pelo São Paulo, que soma R$ 70 milhões com dívidas dessa natureza em seu balanço.

"Não é para se preocupar. Subiu em torno de 27% os empréstimos bancários. Tivemos crescimento de receita. Isso não pesa", disse Oswaldo Vieira de Abreu, diretor de finanças do São Paulo.

De fato, os são-paulinos estão longe de serem os maiores devedores em valores absolutos, como mostra um levantamento da consultoria BDO RCS, que tem entre seus sócios o dirigente corintiano Raul Corrêa da Silva.

A auditoria fez um levantamento sobre os balanços de 25 times brasileiros. Em cima desses números, a reportagem verificou que os 17 clubes da Série A têm um débito líquido (dívida total menos o dinheiro a que tem direito a receber) de R$ 3,2 bilhões.

Ou seja, a dívida bancária representa 14,7% do total. Ressalte-se que esses empréstimos costumam ter juros maiores, que podem até ultrapassar os 2% ao mês.
Mas o maior peso no passivo dos clubes continuam a ser as dívidas fiscais.

São as pendências com o governo que levam o Atlético-MG a figurar como o maior devedor do país, com R$ 528 milhões líquidos. A diretoria questiona: diz que o número é R$ 265 milhões menor.

O clube mineiro é seguido pelos clubes cariocas --Botafogo, Fluminense, Vasco e Flamengo.

Em todos são considerados os débitos líquidos. Ao se levar em conta valores absolutos, sem descontar o dinheiro a receber, os números sobem bastante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.