segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Principais times curitibanos de futebol protestam contra a Globo

O assunto do dia foi o fato de dois times de futebol do Paraná (logo do Paraná, Sérgio Moro e Dallagnol!), O Atlético Paranaense e o Coritiba terem enfrentado a Globo, que ofereceu aos dirigentes uma quantia inferior a merecida na hora de negociar a transmissão pela televisão.

Numa atitude inédita, os times, que não conseguiram entrar em acordo com a Globo, acertaram com o YouTube a transmissão do jogo. A justiça, sempre do lado da Globo (não é, Sérgio Moro e Dallagnol!) decidiu proibir a transmissão da partida, que acabou não acontecendo por decisão dos próprios jogadores. Mais informações sobre o ocorrido, neste link.

Jogadores de ambos os times, que na ocasião ignoraram a rivalidade se unindo contra o abuso da Globo, junto com a torcida, se deram as mãos, torcida e jogadores se aplaudiram mutuamente uns aos outros e vaiaram juntos as Organizações Globo. Uma atitude inédita que já é considerado um marco.

Atitude louvável que pode tirar a "magia" do futebol

Apesar da atitude ser louvável, sabe se que a mitologia do futebol como dever cívico e social foi criado e consagrado pela mídia, com apoio das convenções sociais. O rompimento dos times de futebol com a mídia e a diminuição do poder de cartolas pode tornar o futebol um esporte apenas para torcedores.

Com isso, o futebol passaria a ser curtido apenas por quem realmente gosta e acompanha a trajetória dos times, fazendo desaparecer a sua condição de obrigação social, que tem feito muitos leigos a se unirem a multidões para berrar junto a cada entrada da bola na rede, só para se sentirem incluídos na sociedade e se beneficiar das prerrogativas oferecidas pelas regras de etiqueta social.