domingo, 11 de outubro de 2015

Se ninguém fosse obrigado a gostar de futebol, torcedores não se incomodariam em saber que há gente que não curte a modalidade

Falam tanto que ninguém é obrigado a gostar de futebol, que nossa sociedade é democrática, etc. A lei diz que as autoridades devem respeitar a liberdade do cidadão. Mas é tudo teoria! Tudo teoria! Na prática a coisa acontece bem ao contrário, e por mais que torcedores posem de vítimas, desejando proteger seu direito de gostar de futebol, a corda sempre arrebenta para o lado dos que não curtem.

Não adianta tentar criar uma democracia de fachada. Pessoas que assumem publicamente que não curtem futebol são marginalizadas. Isso quando não são humilhadas ou perdem direitos por isso. Na prática, futebol é sim obrigação por se confundir com o civismo, com as regras sociais e com os direitos fundamentais do cidadão. Mas de fato, futebol não vai além de um lazer supérfluo e como tal nunca deve ser imposto como obrigação.

Mas não venham os torcedores posarem de bonzinhos. Sei que tudo é feito para que a imagem de "normalidade" e de "cordialidade" seja associado a quem gosta de futebol. Normal é quem gosta de futebol. Quem não gosta é desequilibrado, maluco, malvado, uma escória social. Chegam a inventar que os hooligans (torcedores fanáticos que usam a agressividade como meio de demonstrar seu "amor" por um time) detestam futebol, para poder colocar a culpa dos danos nos cidadãos que preferem ter outros hobbies bem diferentes do lazer futebolístico. 

Se não gostamos de futebol, porque ficaríamos perdendo tempo em estragar a diversão alheia? Fiquem tranquilos, torcedores, não somos como os hooligans. Sempre preferimos ficar bem longe daquilo que desprezamos e bem longe continuaremos a ficar.

Estranho que quem age como loucos são os torcedores, berrando fora de hora, estragando o sossego alheio, larga coisas importantes por causa de um joguinho, usa argumentos sem pé nem cabeça para tentar explicar porque o futebol é tao popular, entre outras loucuras. Mas loucura cometida por milhões de loucos vira normalidade. A minoria normal é que é considerada "louca".

E como "loucos" somos excluídos. Pessoas se incomodam como fato de não curtirmos futebol. Mesmo as pessoas que nos querem bem  sempre aproveitam a oportunidade de dar indiretas dando a entender que"não gostar de futebol" é um defeito. Se recusar a seguir a manada submissa incomoda muita gente.

Eu quero dizer a vocês, torcedores, que vocês não são coitados. Não há como tirar de vocês esse vício de cerca de um século. Vocês estão protegidos por autoridades, por toda a mídia e pelas regras sociais. Mesmo que vocês temam as críticas, vocês estarão sempre em vantagem.

Quem tem que exigir respeito não são vocês. O respeito que vocês recebem é farto e vasto. Nós, que não curtimos futebol é que temos que exigir respeito. Sabemos que vivemos em um país que não aceita as diferenças e acha que a submissão social é uma virtude. Mas está mais do que na hora de aceitar que nem todos tem a obrigação de gostar do que a maioria gosta. 

E parem de fingir que vocês respeitam as diferenças! Está mais do que na cara que a ideia de que o futebol não seja uma unanimidade lhes incomoda bem mais do que os problemas cotidianos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.